quarta-feira, 27 de junho de 2018

O que aprendemos com a rodada de hoje da Copa

Última rodada dos grupos de Brasil e Alemanha e, 4 anos depois dos 7x1, eles estão eliminados na primeira fase e o Brasil está nas oitavas, como sempre foi desde 1966.

E o que mudou de 4 anos pra cá?

Absolutamente nada, eles continuaram tocando a vida deles da forma que achavam certo e nós entramos numa busca incessante pra entender o que aconteceu e como aconteceu (mas sem nenhuma mudança no final).

E qual o ponto nisso?

Depois do 7x1, a população brasileira de uma forma geral entrou em curto circuito, começamos a procurar respostas para o que tinha acontecido, aparentemente nos 4 anos passados desde 2010 até 2014, a Alemanha tinha redescoberto o futebol e aperfeiçoado tudo que conhecíamos, fazendo os caras terem um time imbatível.

Lembram das manchetes dessa época? A minha favorita é:

"Veja como a Alemanha usou o Big Data para vencer a Copa do Mundo"

Enfiaram neurociência, psicologia, até ioga aí no meio.

Começou uma busca por uma resposta que nunca existiu, mas que deixou o país todo sentindo que tinha alguma coisa faltando. E hoje, 4 anos depois do famoso jogo, o Brasil está de novo nas oitavas de uma Copa do Mundo e a Alemanha em último lugar de um grupo medíocre, com países com uma tradição limitadíssima no futebol.

Mas será que lá vai ter essa comoção toda? Será que vão fazer uma análise profunda da seleção mexicana e buscar entender por que perderam o jogo pra eles? Será que vai ter Big Data da Coreia do Sul?

Acho que um dos nossos principais defeitos é justamente esse: a falta de personalidade e principalmente de auto estima, é o famoso complexo de vira lata.

Perdemos feio da Alemanha? Sim. Algo precisava mudar? Claro. Mas erramos feio ao entender que eles tinham a receita pronta para o sucesso e que deveríamos copiar exatamente tudo que eles estavam fazendo.

E podem até achar que não, mas eu digo que isso nos afeta em absolutamente todos os aspectos e é péssimo pro país.

Claro que é legal termos modelos pra nos espelharmos, mas a população brasileira em geral gosta de ver os pontos mais negativos do nosso país e comparar com os pontos mais positivos de outros países que, em muitos casos,  só possuem aquilo de positivo.

Exemplos não faltam:

"Nosso país é o pior em educação, não temos um prêmio Nobel, olha os Estados Unidos"

Cara, Bangladesh tem 2 desses prêmios e estamos na frente deles em absolutamente todos os rankings de educação.

"Nosso país é o mais corrupto do mundo, olha a Suíça"

Cara, olha Rússia, Índia, México, todas economias do nosso porte e muito mais corruptas.

O Brasil não é perfeito, longe disso, mas estamos atacando os problemas da pior forma possível, pegando nossa situação atual e querendo que da noite pro dia já estejamos no patamar dos melhores países em cada quesito.

Falta planejamento, foco, soluções de longo prazo, e sobram discursos populistas e soluções emergenciais caras e ineficazes.

2 comentários:

  1. Falando sobre o caso específico do Futebol:

    Na Copa de 2014 a Alemanha só jogou bem mesmo contra o Brasil. Nos outros jogos produziu um futebol absolutamente comum.
    A Alemanha tinha uma boa equipe, o Brasil também, porém deu tudo errado pro Brasil e a Alemanha foi muito eficiente, mérito deles.

    Não sou torcedor de seleção. Mas acompanho futebol desde moleque e quem cria todo esse clima é a imprensa.
    O torcedor na maioria das vezes acaba abraçando o que a imprensa diz sem nem pensar.
    Pra mim o futebol mundial está no nível da mediocridade, não há muitas equipes ou jogadores de nível diferenciado, está tudo mais ou menos a mesma coisa num nível nota 5.
    Futebol hoje privilegia o preparo físico e a tática, a individualidade praticamente acabou.
    Aqui memso no campeonato brasileiro o nível da maioria dos jogos é apenas mediano, quase não há dribles, triangulações, chutes de fora da área... Batedores de falta estão em extinção faz tempo.
    As categorias de base evoluiram, estão mais estruturadas, custam caro aos clubes, mas dificlmente revelam grandes talentos, é um outro jogodaor um pouco diferente e super valorizado.
    Parte das críticas que foram feitas após o 7X1 com relação as bases não estarem revelando grandes jogadores é verdadeira, porém exploraram o tema num momento de crise e após a melhora da seleção todos os problemas acabaram.
    Essa fase técnica limitada pode ser só uma fase, mas ao meu ver o futebol passa por um momento de baixa, incluindo o futebol brasileiro, não nos enganemos.

    Na questão de países: Cada país tem uma realidade, existem boas práticas em diversas áreas pelo mundo, porém nem sempre o que dá certo na Finlândia, dará certo aqui ou em Bangladesh sendo executado da mesma maneira, por uma série de questões: Cultura Local, Estrutura, Tamnhao do País e/ou população entre diversas outras questões.

    As práticas e possíveis soluções devem ser adaptadas a realidade de cada país.

    ResponderExcluir
  2. Futebol é uma caixinha de surpresas...

    ResponderExcluir